1. Pressuposições Hipnóticas

SCRIPT DE CONVERSAÇÃO TERAPÊUTICA DESSA AULA


- Eu me sinto culpado por aquilo que fiz

- Que tipo de culpa é essa culpa?

- Como assim?

- Se você notar, perceberá que a culpa que sentimos quando quebramos um copo é diferente da culpa que sentimos quando magoamos alguém. Faz sentido para você pensar assim?

- Sim, realmente...

- Já havia percebido isso, desse jeito?

- Não exatamente...

- Então é diferente pensar assim?

- Sim, é diferente

- Pensando com essa diferença, eu vou repetir a pergunta: que tipo de culpa é essa culpa?

- É a de saber que o que eu fiz prejudicou pessoas que eu amo

- Então você se sente culpado porque se importa com essas pessoas, sim?

- Sim

- Então me parece que, embora você se sinta culpado, o sentimento que está na base disso é o amor por essas pessoas, sim?

- Sim, parece ser isso

- E à medida em que você vai percebendo esse amor e essa importância por essas pessoas, que tipo de sentimentos esse amor e essa importância despertam em você?

- A vontade de dizer para eles que eu os amo e estou arrependido

- Você já sabia que tudo isso que você está sentindo tem como base esse amor?

- Não

- Saber disso causa que diferença sobre isso?

- Me alivia um pouco, porque eu estava me sentindo muito mal

- É como se você estivesse percebendo algo que não havia percebido antes, de formas conscientes ou inconscientes que, por serem percebidas, transformam as coisas aí dentro de você?

- É como se fosse isso...

- O que você está percebendo agora que não havia percebido antes?

- Que não tudo está perdido

- Agora que você percebe isso, o que mais você percebe?

- Percebo que me sinto mais leve e com mais coragem para consertar o que eu fiz

- Que diferenças isso causa?

- Me sinto mais renovado e pronto para fazer diferente

- Enquanto essas diferenças vão acontecendo, o que aconteceu com aquela culpa?

- Diminuiu muito

- E conforme ela vai diminuindo, o que vai surgindo no lugar dela?

- A vontade de prosseguir